Retratos de Ester

Um tempo atrás, lancei o seguinte desafio: pedi às meninas interessadas que me escrevessem um email contando suas histórias, das quais eu escolheria uma que estivesse de acordo com minha proposta, e esta pessoa ganharia um ensaio Retratos. Foram dezenas de emails recebidos, muitas histórias, muitas confissões, muitos sentimentos. Uma dessas histórias, entretanto, chamou muito minha atenção e foi exatamente esta a escolhida.

O nome dela é Ester, 17 aninhos, e sua história é a seguinte. Desde cedo, ela trabalhava com voluntariado, ajudando e evangelizando grupos de pessoas carentes. 3 anos atrás ela estava no Chile num desses trabalhos e vivenciou alguns momentos atordoantes. Desmaiava continuamente sem motivo aparente, a temperatura do seu corpo caía drasticamente, sentia tontura e fraqueza, entre outros sintomas preocupantes. E tudo isso em outro país, longe de toda sua família. De volta para casa, os sintomas foram se agravando e, depois de um tempo, descobriu-se que ela tinha disautonomia; ou seja, seu sistema nervoso não consegue controlar normalmente os batimentos cardíacos, a respiração, a temperatura do corpo… – funções que independem de nossa vontade. Ela, que sempre foi uma pessoa muito ativa, teve que ficar confinada devido aos sintomas. Nisso, veio a depressão, seus amigos se afastaram, perdeu 8kg, sua vida mudou.

Apesar de o transtorno não ter cura, há tratamento. Aos poucos, os sintomas foram amenizando e ela foi, lentamente, retornando à sua rotina. Cada mês era uma conquista. Conseguiu pegar ônibus sozinha sem medo de desmaiar. Acostumou-se a subir as escadas do colégio, mesmo tendo que chegar 30 minutos mais cedo todos os dias. Retomou as atividades físicas, sempre respeitando seus limites. Reuniu, acima de tudo, uma força incrível para superar cada obstáculo, com o apoio incondicional de sua família e de sua fé.

“Qual seu maior sonho?”, eu a questionei. “Quero ser médica”. Perguntei o porquê e ela respondeu simplesmente: “para ajudar as pessoas”.

Uma menina incrível. Linda fisicamente, linda de coração, linda de alma. Mesmo com tantas dificuldades, ela esbanja um brilho encantador no olhar e irradia uma luz ao mesmo tempo terna e inebriante. O objetivo do ensaio foi mostrar que ela é capaz de qualquer coisa; quero que, ao ver as fotos, ela se lembre de tudo pelo que passou e sorria aliviada, afinal, ela VENCEU.

Foi um prazer imenso conhecê-la e poder ouvir e contar toda sua história. E um prazer maior ainda fotografá-la.

Nas fotos: Ester Louzada.